Notícias

Aposte na suplementação de vacas de cria


Por Equipe AllNova em 28/03/2018

A pecuária moderna se tornou um empreendimento cada vez mais produtivo e rentável. Como todo empreendimento fez-se necessário a aplicação de técnicas mais eficientes que viabilizam a produção, seja ela intensiva ou extensiva. A indústria de nutrição animal trabalha dia a dia para fornecer tecnologias que propiciem essa realidade tornando-se cada vez mais parceira do pecuarista e fornecedora de resultados.

Uma categoria essencial para a cadeia produtiva da pecuária nacional são as vacas de cria, entretanto, as mesmas não recebem a atenção devida, normalmente são a categoria que tem o menor investimento em uma propriedade e  ficam mantidas nas piores pastagens. Sabe-se que o percentual de vacas vazias na propriedade e o intervalo entre partos estão relacionados ao escore corporal durante a estação de monta, assim como a produção de leite e até mesmo o peso à desmama dos bezerros serão afetados pela condição corporal materno . É importante dar atenção a vacada, pois com a estação de monta, que se inicia geralmente entre outubro e novembro (final de periodo de estiagem e inicio do periodo de maior incidência de chuvas em grande parte do território nacional) é essencial que os animais estejam em ganho de peso e consequente melhora de escore corporal para que tenha melhores índices de prenhez.

A suplementação deve ser vista de forma estratégica principalmente para vacas de primeira cria e para vacas que apresentam uma condição corporal baixa. Vacas que parem com condição corporal ruim, possuem taxas de reconcepção baixas, o que acarreta prejuízo ao produtor. As primíparas normalmente são o “gargalo” de uma fazenda de cria, pois elas costumam ter baixos índices de prenhez, baixando a taxa média de prenhez das propriedades.

Considerando os dados acima, observamos que uma suplementação adequada é fundamental para melhorar os resultados, a produtividade o retorno econômico da propriedade que trabalha com cria. Isso se tornou visível em uma propriedade no Mato Grosso do Sul na região de Água Clara com 750 fêmeas de cria foram suplementadas com suplemento mineral aditivado com ureia de liberação lenta, minerais quelatados e fosfato bicálcico dihidratado. A suplementação foi iniciada em setembro de 2016, no final da seca no qual a propriedade foi atingida por 3 geadas até as desmama dos bezerros no mês de maio de 2017. As novilhas (multíparas) estavam prenhes na época e quando pariram o escore corporal foi mantido até a estação de monta e obtivemos um índice de prenhez nessas primíparas acima de 80%, um índice considerado elevado para a categoria. Outro resultado indireto com essa suplementação foi o peso de desmama dos bezerros (as) com médias de 250kg machos e 240 kg fêmeas aos 7 meses. Resultado explicado pelo aumento da produção de leite das vacas e ao consumido do produto nos cochos juntamente com as mães, no qual a tecnologia do produto proporcionou um melhor aproveitamento do capim ingerido. Isso resultara além de uma melhor taxa de prenhez, em bezerros com melhor ganho de peso.

O pecuarista deve ter em mãos as ferramentas necessárias para que ele obtenha a máxima produtividade e rentabilidade independente dos desafios encontrados no campo. Mesmo na adversidade e em categorias consideradas não rentáveis, observamos o impacto positivo quando adotada uma suplementação e ação técnica estratégica.

Relacionadas

AllNova apresenta vídeo institucional que destaca excelência na fabricação dos produtos

Comer carne vermelha, além de gostoso, é saudável

Allnova busca novos representantes comerciais